As três grandes dores: Abandono, Rejeição e Humilhação

Pode ser difícil reconhecer, mas a vida nos dá sempre mais do mesmo, até que a gente mude. Se seus relacionamentos amorosos te expõem a ABANDONO, REJEIÇÃO e HUMILHAÇÃO, isso vai continuar acontecendo até VOCÊ MUDAR. Isso porque um princípio universal não muda, ele é o que é. A energia emanada é a que retorna encontra ressonância e retorna. Quando você MUDAR irá emanar uma outra energia e vai entrar em contato com os benefícios da mudança para viver relacionamentos diferentes. Essas dores, normalmente impressas na infância, mas também em outras etapas da vida, tem um forte impacto na autoestima de um ser humano.

Relacionamentos afetivos seguem um padrão comportamental relacionado as pessoas que o vivenciam. Quem costuma ter encontros positivos e experiência saudáveis na vida afetiva, vai continuar vivenciando isso nas suas relações.

Quem tem problemas nessa área, tende a continuar fazendo parcerias dolorosas porque a causa delas ainda não foi tratada. Quero começar te dando uma boa notícia, para que você não se apavore ou se entristeça mais: TEM JEITO!

Você encontra alguém, imagina que dessa vez será diferente e que a pessoa atual não tem nada a ver com as demais. Isso o(a) anima e, se você é uma pessoa de entrega, que acredita no amor, você vai em frente. Totalmente inteiro(a). Infelizmente, em algum momento as coisas vão se distanciando da ideia inicial, e você se verá numa situação conhecida que envolve uma dessas grandes dores humanas: abandono, humilhação, rejeição. Tem várias possibilidades depois disso:

  1. Você não aceita, nega para você mesmo que isso está acontecendo;
  2. Você vai  querer manter o relacionamento com todas as suas forças, tendo em vista o bem estar inicial;
  3. Você vai se culpar por estar envolvido(a) de novo na mesma situação;
  4. Você vai prolongar as coisas, vai fantasiar que a pessoa vai reconhecer o valor do seu amor, vai reconhecer como vocês são um bom casal e que ele(a) vai voltar; com isso, você vai sofrer, vai sofrer e vai sofrer;
  5. Você, um dia vai superar as dores desse relacionamento;

Por aí a gente PARA pra eu te dizer uma coisa.

Desse ponto para o próximo, só existem dois caminhos: 1) Você vai chegar a um momento de “BASTA, não quero mais viver esse tipo de história com ninguém!”; ou 2) vai apenas esperar o tempo amenizar tudo e aí achar que “tudo bem, já passou, estou pronto(a) pra outra”.

Se você chegou no BASTA, parabéns! Vou te apresentar uma possibilidade de romper o padrão. Procure desenvolver seu autoconhecimento, profundamente. Para isso, vai precisar de ajuda profissional qualificada. Não tenha medo de procurar. Não se deixe ficar onde está por preconceitos com a psicoterapia. Se você vai ao dentista quando tem dor de dente, procure o profissional adequado para dores emocionais.

A primeira coisa a saber é que você é responsável pela sua história, é uma questão SUA o que está sentindo. Tem menos a ver com o outro e TUDO a ver com você e suas escolhas. Se a gente soubesse conscientemente que estava fazendo uma escolha parecida com anteriores que nos fizeram sofrer, não faríamos tal escolha. Ninguém gosta de sofrer. Entenda que seu inconsciente vai driblar sua capacidade intelectual de fazer essa correlação. A pessoa vai parecer mesmo, muito diferente de tudo vivido anteriormente, até que você identifique durante a relação uma dinâmica parecida. São as peças que o inconsciente nos prega, porque é nele que nossas crenças sobre nós e o nosso valor estão instaladas, o valor que você se atribui está lá, mais fortemente. E é nesse campo que a cura para as dores da alma estão.

Procure um bom psicoterapeuta, obtenha referências confiáveis do profissional e vá CUIDAR DE SI. Vá resolver de forma segura, no espaço adequado para que seu inconsciente se expresse e você possa compreender melhor e mais claramente a sua própria história, a razão de suas escolhas. Seres humanos são seres muito complexos, não superiores, apenas complexos porque vivemos essa dimensão desafiadora de corpo, alma e espírito. Mas é assim que é. Todos, em alguma medida, temos nossas questões ligadas a autoestima para tratar ao longo da vida.

Faça o melhor que pode em relação a você mesmo, não poupe esforços nem energia nesse quesito. Desenlace o que está emaranhado e te impedindo de viver na sua melhor versão. Desafie-se a viver plenamente e não em pedaços, pisados pela dor e pelo sofrimento.  Entenda que por mais estranho que pareça, a situação está perfeita como está, é a sua chance de promover o seu próprio amadurecimento. É provável que viver mais esta experiência seja uma possibilidade que a vida está oferecendo para você agir no sentido de curar-se interiormente. Talvez, tudo isso tenha sido o necessário para lhe ajudar a declarar um basta!

Voltando para os itens que citei acima para concluir.

Se a sua decisão foi o “BASTA!” e você foi buscar a cura de suas emoções mais profundamente o item seguinte é:

  1. Você vai se abrir e se dispor novamente a amar, sem medo e com a entrega que é capaz de fazer de si mesmo. Vai fazer isso sem temor (ou com algum temor), mas que não te impedirá de ir assim mesmo. Lidar positivamente com o medo é um ótimo parâmetro para saber se está mesmo no seu momento de ter uma “relação sorridente.” Essa expressão é uma sugestão para te inspirar a pensar na sua próxima relação, identifique o que quer dela.

A outra possibilidade é você não cuidar-se, não buscar ajuda, não facilitar a sua vida. O item seguinte, o de número 6, será:  Você vai se iludir achando que o problema está nas pessoas com as quais você se envolveu e achar que a próxima relação será totalmente diferente e vai sair tudo como você sonha. Há ainda outra possibilidade para o item 6. Você vai ficar com medo e se fechar e decidir que não quer mais se relacionar amorosamente com ninguém.

Lembre-se que existe um princípio universal, e está relacionado a energia que se emana, a partir do valor que alguém atribui a si mesmo. Essa energia vai atrair aquilo que lhe é familiar e conhecido, aquilo que você, lá dentro, reconhece como parte de si.

A BOA NOTÍCIA: a energia é mutável, se movimenta, se transforma. Você atrairá o melhor para você quando a energia que estiver predominando em você for saudável.

Quer dizer que eu preciso ser perfeito para ter bons relacionamentos? NÃOOOOOOOOOOOOOO!

Quer dizer apenas, que em algum momento você precisa DECIDIR CUIDAR BEM DE VOCÊ. Diante do abandono, da humilhação ou da rejeição, NÃO SE REJEITE! E não impute culpa, o outro apenas evoca esses sentimentos que estão em você. Vá em busca de encontrar seu valor. Decida reconhece-lo, o ofereça o amor em sua melhor versão o que parte para o outros a partir de admiração, respeito e gentileza consigo. Reconheça  o valor dos aprendizados, que em todas as circunstâncias, esteve e está presente. Só isso!

Um único passo, uma DECISÃO: “Vou cuidar de mim, não vou culpar ninguém, vou me prestigiar, me compreender, serei gentil e paciente comigo, e se para isso, preciso de ajuda, vou busca-la.”

Eu te desejo com o mais profundo amor fraterno que há no meu coração que você escolha o “BASTA!” e siga amando, ainda melhor, permitindo-se  ser amado(a) e atento(a) as várias formas com que esse amor se expressa na sua vida.

Grande, quente e carinhoso abraço.

 

There is 1 comment
  1. Lucia

    Edna Gostei muito do artigo sobre relacionamentos. Se puder gostaria de trocar umas ideias por email. Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-image: url(http://ednacassiano.com.br/wp-content/uploads/2016/12/woman.jpg);background-size: cover;background-position: center center;background-attachment: scroll;background-repeat: no-repeat;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 550px;}