Ele me ama, ele não me ama…livre-se dessa prisão

Ele diz que te ama num dia de muita intimidade e comunhão, que parece ser o dia perfeito!

Ele te diz no outro dia, que você deve se lembrar que vocês não estão namorando, que ele não assumiu nenhum compromisso com você.

Ele sabe dizer o quanto você é legal e sabe exaltar as suas qualidades.

Ele se nega a apresentar você como namorada e envolve-la no seu círculo de amizades e na família.

Ele age num dia como se você fosse uma pessoa importante na vida dele.

Ele age, num outro dia, colocando você numa fila para receber sua atenção e só de acordo com a disponibilidade dele, você é atendida no seu desejo de estar com ele. Às vezes, pode demorar para que chegue novamente sua vez.

Ele, ás vezes, parece prever seus desejos e necessidades e atende-as todas com o maior carinho.

Ele te faz sentir, muitas vezes, invisível ou inexistente.

Volta e meia, quando você reclama o desejo de estar mais tempo juntos, de planejar alguma coisa em comum, ele te lembra que: desde o começo avisou que vocês não são um casal, ele não quer compromisso.

Já ouviu falar numa brincadeira antiga de despetalar a rosa para descobrir se uma pessoa te quer bem ou não? Bem me quer, mal me quer, bem me quer, mal me quer….

Pois é, não funciona! Nem era legal matar a vida da flor dessa forma. Ainda bem que não se brinca mais assim.

Se você está num relacionamento desse tipo, onde você está envolvida e a outra pessoa dá sinais dúbios dos seus sentimentos, não adie se retirar da brincadeira. Faça isso já!

Eu sei que não é fácil porque esse tipo de pessoa (podem ser mulheres também) é persuasiva e poderosa no uso de seus dons de envolvimento, mas será preciso para preservar sua saúde emocional.

Esse tipo de relacionamento é esquizofrenizante, adoecedor.

Com todo carinho do mundo quero te estimular a encontrar forças e abandonar essa relação não apenas ao nível de relacionamento íntimo, mas das suas relações em geral, porque ela mina seu senso de valor, as mensagens contraditórias maltratam suas emoções profundamente. Você pode passar a ter muitas dúvidas sobre a sua identidade. Quanto mais estiver ligada afetivamente, mas rápida precisa ser sua decisão de se desligar dessa pessoa.

Deixo claro que as origens dos problemas são identificadas após análise de cada caso individualmente.  Quero te apresentar um dos motivos pelos quais, talvez, você tenha se envolvido. Analise se na sua infância você percebia a mensagem das figuras significativas, pais, avós, pessoas importantes na sua formação que para você pareciam dúbias. Você às vezes, se sentia amada e protegida e em outras percebia-se como que invisível ou desamparada. A atração pela pessoa pode ter se dado num processo mental inconsciente que recria as situações infantis no desejo de que, finalmente, possa concluí-los da forma desejada, da forma mais gratificante. Então, você se vincula a alguém desejando que agora seja diferente e em algum momento a pessoa vai descobrir que te ama e vocês serão felizes. É um terrível engano, uma ilusão, uma peça do inconsciente.

Vou ser bem direta com você: reúna forças e saia dessa “brincadeira” séria, saia desse jogo! Você merece manter sua saúde emocional, seu senso de valor, sua vida brilhando mais e mais. Se não conseguir fazer isso sozinha procure um bom profissional da psicoterapia, ele vai te oferecer o que for necessário para o seu processo de sobreviver de forma digna ao luto que vai se seguir a separação e para iniciar outro ciclo. Te desejo sucesso e vida plena!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-image: url(http://ednacassiano.com.br/wp-content/uploads/2016/12/woman.jpg);background-size: cover;background-position: center center;background-attachment: scroll;background-repeat: no-repeat;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 550px;}