O melhor ainda está por vir

Eu tenho como crença pessoal esta frase. Adotei-a ao chegar aos 40 anos. Dizem que a vida começa aos quarenta. Antes de os ter vivido, imaginava que essa ideia era uma forma das pessoas que estavam envelhecendo confortarem-se com o inevitável processo de envelhecer. Ao chegar lá, entendi o “espírito da coisa” e aderi. Não vou explicar, talvez em outro momento. Pode ser melhor cada um descobrir por si mesmo ou não o que significa. O aproveitamento que se faz dos anos é algo muito individual.

Da mesma forma, dizer que se acredita que o melhor ainda está por vir, quando se chegou aos 50 anos, pode soar estranho para muita gente. Reconheço em algumas pessoas, quando cito a frase, um grande ceticismo. Compreensível. Eu mesma, aos 18 anos, ficaria muito cética ouvindo alguém que tivesse mais de 30 manifestar-se assim. Imagine aos 50 anos. Possivelmente, eu ficasse até solidária com o que julgaria ser uma tentativa de autoconforto.

A interpretação que se dá ao que se ouve também é muito pessoal, depende das crenças e valores individuais, das distinções que se consegue fazer como observador, da visão de mundo, das experiências, etc. Então, não posso me ocupar do que as pessoas entendem, apenas do que significa para mim. É o que quero compartilhar com você hoje.

Minha compreensão da vida a relaciona a um processo que vai se desenvolvendo e avança sempre impulsionado pelo propósito que se encontra para ela – é preciso ter um. O propósito pode ficar obscurecido, mas ao permitirmos que se evidencie, ele se realiza cada vez mais eficazmente. O sábio Salomão disse que “a vereda do justo é um permanente avançar como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito”. Neste verso, a palavra justo se refere ao sábio. O sábio não vive sob o manto de seus medos, tentando afirmar sua autoridade sob radicalismos ou conservadorismos, e não teme mudar seu próprio ponto de vista. Ele está disposto a aprender sempre. Entende o porque do “avançar brilhando mais e mais”? Processo.

Eu acredito que o autoconhecimento é um instrumento de desenvolvimento pessoal e que, associado à espiritualidade, promove uma evolução transformadora na vida das pessoas. Compartilhar isso se relaciona ao meu propósito de vida. Procuro ajudar as pessoas a encontrarem-se com sua essência e serem capazes de enxergar o divino em si. Creio que isso possibilita que desenvolvam suas virtudes e melhorem sua qualidade de vida. É também o que procuro viver. Por isso, entendo que o melhor está por vir, no tempo que vai sendo concedido para se viver aqui, nessa dimensão de vida. Haverá sempre o que aperfeiçoar, no que investir energia e também frutos a colher.

Viu como não tem nada a ver com idade e sim com o que se faz com os anos que nos são concedidos? Foi um processo para eu chegar a entender. É gostoso agora usufruir de aprendizados, que foram libertadores e que ampliaram minha visão de mundo, e saber que ainda estou em processo. É bom saber que não sei sobre o que há de vir, mas posso crer que será proveitoso para o meu aperfeiçoamento. O melhor é sempre o melhor para um determinado contexto. O envelhecimento não impede boas vivências, pode até favorecer um melhor aproveitamento do que se vive, pelo que as experiências anteriores possibilitaram aprender. Vamos fazer nosso melhor, hoje. O que é ainda melhor está por vir para mim e para você até nosso ciclo aqui se completar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-image: url(http://ednacassiano.com.br/wp-content/uploads/2016/12/woman.jpg);background-size: cover;background-position: center center;background-attachment: scroll;background-repeat: no-repeat;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 550px;}