Quando você se esforça muito para agradar

O assunto desse texto pode alcançar homens e mulheres, mas ele está muito mais relacionado ao universo feminino. As mulheres historicamente são criadas para agradar, para atender expectativas, para fazer parte do mundo do outro. Essa cultura é muito forte numa dimensão para além do que é consciente e causa muitas dificuldades e até muito sofrimento em mulheres que teriam tudo para serem felizes e bem-sucedidas.

Muitas mulheres estão sendo movidas por crenças limitantes que atuam no nível sutil entre consciente e inconsciente e que gera determinados comportamentos.

Por exemplo, é muito comum eu ouvir mulheres confusas querendo entender porque até conseguem atrair alguns homens, começam a se relacionar e quando parece que esse relacionamento está amadurecendo ele desaparece, desiste do relacionamento. Se a gente investiga um pouco percebe uma relação entre várias histórias dessas mulheres. O discurso é parecido e é mais ou menos assim.

“Puxa, mais eu estava fazendo tudo por ele, eu estava sendo companheira, eu priorizei a nossa relação, eu deixei de fazer coisas de que ele não gostava, passei a fazer tudo que eu sabia que ele ia curtir, não sei o que aconteceu.” E ainda pode completar: “Eu não tenho sorte, os homens não querem nada sério, eu atraio sempre o mesmo tipo de homem que vai me abandonar, etc”.

Eu quero chamar a sua atenção para alguma coisa que pode estar acontecendo. Você pode, ao se interessar por alguém, estar abrindo mão da sua autenticidade. Você pode não estar se mantendo espontânea. E não é culpa sua, você aprendeu assim.

Os homens são educados para experimentar, para a liberdade, para autonomia, para viver histórias interessantes. As mulheres são educadas para agradar, como eu citei antes. As histórias femininas são mais limitadas e na maioria delas, as mulheres não são as protagonistas da própria história.

Então, quando uma mulher sente muita necessidade de agradar, ela não percebe que o outro fica se sentindo cobrado diante dessa energia tão intensa colocada sobre ele. Ela não percebe que está na verdade sendo controladora e tentando manipular o parceiro.

Entenda que não está errado fazer coisas legais pela pessoa que a gente gosta. A questão não é o que se faz é a energia colocada no que se faz, é o esforço, é como você se sente quando faz coisas que não estão congruentes com você mesma. Coisas que não são naturais para você.

O outro percebe esse esforço e sente-se pressionado a retribuir com o comportamento que se esperada dele em retribuição. Isso é muito ruim e tende a afasta-lo. As mulheres quando se interessam por um relacionamento tendem a descuidar da sua vida, das suas coisas. Elas aos poucos vão se envolvendo e se interessando muito mais pela vida do outro para serem aceitas e aprovadas. Elas abrem mão muito facilmente de ser quem são e ficam tentando atender expectativas. Isso vai afastar pessoas legais que não querem ser A RAZÂO DE VIVER de uma outra pessoa. Vai afastar quem quer parceria, troca, espontaneidade. E pode atrair pessoas querer se aproveitar de você.

Eu quero dizer com muito carinho por você que está lendo o texto que cuide sempre, primeiro, de você. Goste e respeite a pessoa que você é. Não tenha medo de se mostrar com suas forças e fragilidades. Não se importe quando encontrar pessoas que não se interessarão por você, porque isso é natural. Você vai, por outro lado, encontrar outras que vão curtir a sua companhia e se interessar realmente por você.

Minha dica é: Seja uma observadora de você mesma. Perceba as emoções envolvidas nas suas ações, perceba quando está fazendo um esforço para ser legal com alguém. Isso pode não funcionar e se funcionar, provavelmente é porque a pessoa está querendo se beneficiar da sua fragilidade.

Cuide da sua autoestima, não se obrigue a mudar de gostos e de programas e de prazeres toda vez que se interessar por alguém. Experimente novidades, claro! Sugira que o outro experimente daquilo que você curte, mantenha sua vida social, continue dando atenção a sua vida profissional e familiar. Se aquela não for uma relação duradoura, terá sido agregadora de experiência. Terá dado certo enquanto durou. Você terá desfrutado dela e não trabalhado para ela.

Compartilhe essa postagem com uma amiga sua que você gostaria que refletisse sobre isso, é um tema legal para trocar ideias e experiências.

Fique bem e se cuide!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-image: url(http://ednacassiano.com.br/wp-content/uploads/2016/12/woman.jpg);background-size: cover;background-position: center center;background-attachment: scroll;background-repeat: no-repeat;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 550px;}