Você quer encontrar um par perfeito para você?

Se este é o seu foco eu quero lhe ajudar a ajustar sua lente.

O desejo de um relacionamento amoroso bem sucedido, no sentido de satisfazer as pessoas envolvidas é natural e viável. Por que parece tão difícil e mesmo impossível para algumas pessoas?

Alguns esclarecimentos são muito relevantes antes de responder à pergunta acima. O primeiro ponto é a prioridade que se dá a esse desejo. As pessoas são diferentes e ao longo da vida passam por fases muito distintas, com prioridades diferentes em cada uma delas. O desejo de um relacionamento amoroso onde haja respeito, carinho, tesão e admiração pode ser mais ou menos prioritário nos diferentes momentos da vida. Com isso quero dizer que um relacionamento amoroso pode não ser um desejo ou prioridade de alguém e está tudo bem!

Há quem deseje um amor para viver ainda melhor, para contribuir com a felicidade do outro e para evoluir no processo de se relacionar.

Mas as motivações podem ser outras. Pode-se desejar um parceiro pela necessidade de:

  1. Agregar valor a si mesmo, quando a pessoa se considera insuficiente para ter seu próprio valor;
  2. Pode-se desejar uma companhia para viver a vida, porque a mesma não teria valor sem que outro desse sentido a ela. Mesmo que esse sentido fosse: cuidar desse outro, ocupar-se dele;
  3. Pode-se considerar que isso é parte da autoimagem de sucesso que a pessoa criou para si, então o outro precisaria ter as características definidas para reforçar o quanto a pessoa tem sucesso;
  4. Pode-se considerar que todas as carências e necessidades que se tem, serão supridas pelo outro salvador que aparece em resgate de alguém necessitado.

A lista pode ser bem grande, mas poderíamos reduzi-la apenas ao item 1 que ele englobaria tudo mais. Sendo este o caso, muitos equívocos podem ser cometidos gerando dor nas partes envolvidas e nos que estão ao redor. Eu quero lhe convidar para deixar um pouco de lado a visão romântica, se afastar um pouco da sua própria opinião e acompanhar o texto até o final com o coração e a mente abertas.

Meu desejo é que você, que está procurando seu par, o ENCONTRE, eu creio que isto é plenamente possível porque é parte natural da vida, a vida é feita de encontros e muitos deles podem permanecer para a vida toda, mesmo se modificando naturalmente com as transformações que os processos da vida propiciam e os aprendizados que geram. Os desencontros, quando existem, são ótimos professores e podem favorecer novos e melhores encontros no futuro.

Espero ter sucesso em falar com você de uma maneira bem objetiva, sem deixar de lado a profundidade, levando você a reflexões que possam, na sequência, serem muito úteis e gerar as transformações necessárias na sua energia interna e na sua atuação na vida em busca de um relacionamento amoroso feliz.

Todos nós temos um sistema de crenças que podem ser facilitadoras ou prejudiciais ao nosso sucesso nas diversas dimensões da vida.

O sistema de crenças de uma pessoa é muito perceptível na linguagem que ela utiliza. As palavras tem um PODER CRIADOR. A palavra surge depois que passamos por experiências sensoriais que se acumulam desde o nosso primeiro núcleo de convivência, o familiar, até: a escola, igreja, amigos, programas televisivos, livros, músicas, etc.

Frases típicas de um sistema de crenças limitantes na vida amorosa:

  1. Todos os homens bons estão casados;
  2. Os homens não querem compromissos;
  3. Eu tenho um dedo pobre para encontrar alguém para me relacionar;
  4. As mulheres são todas iguais, só se interessam pelo cartão de crédito;
  5. As mulheres são fúteis ou dependentes;
  6. Mulher para casar está difícil.

Você já compreendeu, não preciso fazer crescer muito essa lista, mas ela é IMENSA para muitos homens e mulheres.

Fato é que, para essa crença chegar a se expressar naturalmente no linguajar de alguém, uma série de acontecimentos transcorreram que as validaram internamente. A fala é fruto de um pensamento, que gerou imagens e produziu sentimentos naquela pessoa. Se cristalizaram nos processos mentais e se tornaram a realidade daquela pessoa. São composições de tudo que ela viu, ouviu e sentiu.

Da mesma forma que quando queremos comprar um novo carro e escolhemos o modelo desejado passamos a vê-lo com frequência nas ruas, porque o cérebro está filtrando informações à partir do foco, aqueles filtros criados na mente relativos as crenças selecionarão apenas o que a pessoa acredita para que ela valide suas crenças. Ela vai reparar muito mais em casos de casais que se separam, em brigas de casais, em pessoas que provocam sofrimento em outras nas relações, etc. Aquele será o cenário do mundo dela, criado pelo seu sistema de crenças.

Ela vai tender a negar, a desconfiar e a desqualificar casais que vivem bem. Não será, muito provavelmente, um processo consciente, mas enquanto a pessoa não se abrir para enxergar sem tantos filtros negativos, esta será sua realidade. E será isso que vai atrair para si. Porque nós atraímos e somos atraídos por aquilo e aqueles que concordam como o nosso sistema de crenças. E crenças são geradas no inconsciente. São os inconscientes que se encontram e nestes casos, se desencontram para provar a validade das suas próprias crenças.

O resultado, depois de muitas desilusões, é a frustração e a certeza de que para ela não é possível viver a felicidade de uma boa relação a dois. A pessoa se tornará resistente a ter relacionamentos amorosos por medo e por proteção. Cria-se uma blindagem ao redor de si que impede que alguém com outra energia, fruto de um outro e mais positivo sistema de crenças, se aproxime por causa da incompatibilidade. Ela se torna incongruente, conscientemente quer alguém, inconscientemente se protege porque sente medo.

Continue lendo no próximo post. Clique aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-image: url(http://ednacassiano.com.br/wp-content/uploads/2016/12/woman.jpg);background-size: cover;background-position: center center;background-attachment: scroll;background-repeat: no-repeat;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 550px;}